sábado, 7 de fevereiro de 2009

MAL DE MÉNIERE

Não se trata de um sintoma circunscrito e sim de um complexo de sintomas centrado em torno de ataques de vertigem com vômitos, suores e palidez, a sensação que o afetado se encontra sobre um solo oscilante, como se o chão fosse repentinamente retirado de sob os pés, emocionalmente é como se o chão que se está acostumado a pisar de repente se torna inseguro, a independência e a autonomia se vêem permanentemente ameaçadas, a firmeza é colocada em questão. Nos tratamentos terapêuticos descobre-se que os pacientes subiram a alturas vertiginosas com respeito à ética, moral, religião ou à ambição, a extravagância e o exagero de suas pretensões em si mesmas impedem que eles encontrem um solo vital para sustentar suas concepções de alto vôo, estão sempre voltados a um reconhecimento externo, quando isto não acontece chega-se as situações de desencadeamento, muitas vezes tem a ver com uma perda de conteúdo vital, quando se perde este apoio o chão se torna oscilante, e o paciente se comporta de maneira imóvel, afastando-se de tudo, de todos se isolam do mundo.
a falta de confiança na vida e em si mesmo resulta na falta de chão que representa a segurança interna em pessoas independentes que de repente por razões pessoais não aceitam mudanças, e a vida na sabedoria divina nos coloca nestas mudanças para reavaliarmos nossas pretensões muitas vezes tão altas que ao nos derrubar percebemos que o nosso entendimento necessita de tempo de
paciência e de confiança para mudar pensamentos antigos que precisam acompanhar a evolução da
vida.....uma pergunta para quem já passou pelo M de Meniere.....por que não quero ouvir o que minha
voz interna quer dizer?....ouça, preste atenção e reaja diferente depois de ouvir o próprio coração.
Dra. Miriam Zelikowski.

Um comentário:

vania disse...

Tenho o mal de Meniére...ou ele me tem, não sei. Busco sempre ouvir a voz do coração, que me fala:Não faça nada, e as necessidades externas de vida,alimento,sobrevivência a gritar:Saia,Aja!!!